Ir direto para menu de acessibilidade.
Acesse o canal do servidor
Início do conteúdo da página
VENCEDORA

Uma história de triunfo contra câncer

Publicado: Segunda, 08 de Maio de 2017, 17h36 | Última atualização em Quinta, 04 de Janeiro de 2018, 16h47

Zulmar LFA 9642(Publicada em 8 de abril de 2013) - Uma doença silenciosa e fatal, o câncer pode assustar e tirar a esperança dos portadores desse mal. Ainda que a enfermidade seja tão ameaçadora, há pessoas que, imbuídas de uma força incomum, conseguem vencer a doença e dar exemplo de vitalidade e positivismo. A servidora do Ministério dos Transportes, Zulmar Ribeiro Konig, venceu o mal. Aos 66 anos, ela já lutou contra 3 cânceres num período de 13 anos.

Zulmar conta que descobriu o primeiro câncer aos 52 anos, 1997. “Eu comecei a sentir tonturas, mas pensava que eram apenas sintomas da menopausa”, conta. Ao consultar o médico, ela passou por uma série de exames, e a principio tudo parecia normal, exceto por uma calcificação na mama. Foi quando fez exames mais específicos que constataram a doença.

Essa primeira fase foi mais complicada para a servidora, que não aceitava a situação. “Eu perguntava: por que, meu Deus, por que eu? Há tantas pessoas fazendo o mal no mundo e o Senhor permitiu que fosse eu que tivesse essa doença”, lembra.

Em 2004, veio o segundo câncer de mama, mas Zulmar não viu mais como um castigo, mas sim um momento de crescimento. “Você passa a ver a vida de um ângulo diferente, aprende a ser mais humilde e passa a entender mais o próximo”, relata.

Apesar de todas as dificuldades que passou na luta contra o câncer, ela conta que passou a ver tudo isso como coisas banais e nunca perder a vontade de viver. Os pensamentos positivos foram o que a fortaleceu em 2010, com o aparecimento do terceiro câncer de mama.

Ao longo do tratamento, foram 22 sessões de radioterapia e 89 de quimioterapia, mas Zulmar não perdeu a esportiva. “Cheguei a sair de uma sessão de quimio e ir direto para faculdade fazer prova. Eu me sentia muito mal, mas nunca perdi a vontade de viver”, relembra.

Com 28 anos de MT, Zulmar é conhecida por sua alegria contagiante. “Sinto-me muito orgulhosa por conhecer uma pessoa que para mim sempre foi um exemplo de mulher. Tenho uma imensa admiração por ela, por ser uma pessoa que não se entrega com facilidade às dificuldades que já teve de superar. Após ficar doente e ter vencido essa etapa da vida, ela continua com o sorriso estampado em seu rosto, servindo de exemplos pra tanta gente, inclusive para mim”, afirmou a colega Márcia Gonçalves Gomes.

Mãe de quatro filhos que a ajudaram a lutar contra a doença, Zulmar acredita que o trabalho também contribuiu para ocupar sua mente. “Se eu tivesse ficado em casa teria surtado”, afirma.

Uma das maiores dificuldades que Zulmar passou foi a busca por assistência médica. Mas, hoje, ela vê a doença como uma coisa que veio e passou. “Enquanto existir vida você não tem que se entregar. E se a doença voltar, eu vou dizer ‘vamos lutar’”, afirma a servidora que acaba de concluir o curso de Direito e aguarda sua colação de grau.

Dia Mundial de Combate ao Câncer
Vale lembrar que nesta segunda, 8 de abril, é comemorado o Dia Mundial da luta Contra o Câncer. Segundo especialistas, existem vários tipos da doença que podem afetar crianças ou adultos. 


De acordo com o site do INCA (Instituto Nacional de Câncer), a data foi criada em 1988 para divulgar para a população sobre o tratamento e a prevenção da doença, por isso é preciso ficar atento aos sinais e fazer exames.

Por Jáina Tamina Maia Salvador
Foto: Luís Fortes - Ascom/MTPA

Comunicação Interna/MTPA

registrado em:
Fim do conteúdo da página