Ir direto para menu de acessibilidade.
Acesse o canal do servidor
Início do conteúdo da página
ENTREVISTA

Servidor do MT relata uma vida repleta de música e luta

Publicado: Segunda, 08 de Maio de 2017, 17h02 | Última atualização em Quinta, 04 de Janeiro de 2018, 16h47

joel oliveira(Publicada em 6 de março de 2013) Engajado, idealista, sonhador e também um artista. O servidor do Ministério dos Transportes, Joel de Oliveira, destaca-se por sua atuação em várias frentes, que incluem a luta por mais conquistas da população negra, a composição de poesias e o talento para a música. Sim, Joel é cantor. “Gosto de cantar música popular brasileira de qualidade!”, enfatiza. Presidente da Associação dos Servidores do MT (ASMT), Joel completará 70 anos em dezembro. Deles, 43 foram dedicados ao Ministério. Casado há 33 anos e um casal de filhos, Joel contou ao Via um pouco de sua história e compartilhou uma lição de vida.


Via: Joel, qual é mesmo a sua idade?
Joel: Nasci em 6 de dezembro de 1944. Mas com um corpinho... (risos).


Via: O seu talento como intérprete de MPB é reconhecido no órgão. Quando começou?
Joel: Tive a oportunidade de cantar no coral universitário e fazer algumas apresentações em clubes da cidade e na escola Americana. A partir daí, comecei a pegar gosto pela música achando que cantava. Hoje, estou no coral do Cenart – Centro de Arte Espírita. Vou levando a vida com alegria e muito prazer. Entorto, mas não quebro com o peso da idade! Já levei um baita tombo dançando, caindo sobre a dama em presença de mais de 500 pessoas, o maior mico da vida. Mas quer saber? Tudo bem, né?!... e a vida segue. Em dezembro de 2012, me apresentei no Clube do Choro de Brasília, no show Cante com a Gente.

Via: E os seus sonhos?
Joel: Não tenho sonhos, porque me valho muito do que já considera a maior realização de um sonho: ser feliz! Mas devo confessar que o show passado foi uma resposta a uma proposta que fiz mentalmente e aconteceu. Que proposta? Por ser reencarnacionista, quero deixar registros materiais para geração futura da minha passagem neste planeta. Então não sonho muito. Apenas admito que, em algum momento, algo possa acontecer de acordo com o que penso e verifico como é possível. É assim a vida para mim.

Joel de Oliveira também é cocriador do movimentou que culminou na elaboração da Lei de Anistia (8878/1994) e atuou como julgador da Comissão de Anistia Política do Ministério da Justiça por nove meses, com base na Lei 10.559/2002. Foi homenageado pela Comunidade Negra por sua participação no documentário “Raça Humana” da TV Câmara.

 

Comunicação Interna/MTPA

registrado em:
Fim do conteúdo da página