Ir direto para menu de acessibilidade.
Acesse o canal do servidor
Início do conteúdo da página
Decisão

Comportamento ético

Publicado: Sexta, 17 de Fevereiro de 2017, 16h10 | Última atualização em Segunda, 08 de Maio de 2017, 16h45

O ideal seria que todos nós tivéssemos um comportamento ético pleno, em todos os sentidos, tanto na vida pessoal quanto em nossas atividades profissionais. Contudo, por uma série de circunstâncias que escapam do nosso controle, em parte decorrente de falhas em nossa própria formação básica familiar ou pela convivência diária com hábitos e costumes muitas vezes praticados por pessoas dos mais diversos ramos de atividades, líderes empresarias ou autoridades públicas, cujos atos se transformam em mau exemplo, nos induzem a praticar ações que conflitam com o necessário e almejado procedimento ético correto, o qual deveria ser um componente elementar de todas as pessoas e que certamente traria enormes benefícios a todos nós, sem distinção.

Muitas atitudes que praticamos ou presenciamos no dia a dia, às vezes, fogem da nossa percepção de qual é o verdadeiro sentido ético que devemos imprimir em nosso comportamento social e profissional. Pequenos atos, muitas vezes inofensivos em nosso entendimento, mas que refletem negativamente sobre outras pessoas, o que nem sempre percebemos, podendo atingir até mesmo aquelas que estão muito próximas de nós, em nosso
cotidiano, e nem assim nos damos conta do mal que causamos no convívio social e no ambiente de trabalho.

As redes sociais, vez por outra, divulgam questionamentos sobre o que fazemos com naturalidade, sem a consciência de que podemos estar praticando um comportamento antiético. A prática de atitudes diretamente relacionadas com a nossa atuação aqui no Ministério também poderiam nos levar a questionar se utilizamos o serviço de cópias, transportes ou telefonia em benefício próprio, se somos devidamente gentis, cumprimentando a todos sem distinção, se praticamos o respeito com os nossos colegas de trabalho, se somos claros e transparentes dentro das nossas atividades funcionais, se aceitamos e reconhecemos com grandeza e humildade a melhor capacitação ou a maior experiência de outro servidor, se temos cuidado ou damos o devido valor aos equipamentos que nos são disponibilizados para as nossas tarefas. Enfim, há uma série de coisas que acontecem no cotidiano laboral que nos
passam despercebidas.

Portanto, se refletirmos com simplicidade, haverá a percepção que é muito fácil SER ÉTICO no trabalho e na vida, bastando praticar ações que sejam coerentes com a nossa consciência, desde que tenhamos uma sólida formação comprometida com os fundamentos da moralidade, dos bons costumes e da boa educação. 

Renato de Aguiar Attuch, Membro da Comissão de Ética do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

Fim do conteúdo da página